Archive for the ‘Lar doce lar’ Category

Para tirar manchas

outubro 7, 2008

Domingo, eu e o Rafa, fomos tomar um chimas na casa de um amigo. Antes de ir embora consegui a proeza de me encostar em um portão com graxa. Achei que tinha perdido minha amada jaqueta jeans, mas o Rafa conseguiu tirar a mancha.

Ai vão algumas dicas para remover as manchas difíceis:

Manchas de café:
Lave com água morna e glicerina ou passe uma pedra de gelo sobre a mancha.
As manchas saem com uma mistura de bicarbonato de sódio e água.
Para tirar manchas de café antigas basta esfregar um pano umedecido com vinagre branco ou álcool.
Manchas de café em roupas de algodão branco: Umedeça com água oxigenada e logo em seguida lavar com sabão de pedra.

Manchas de mel:
Coloque sobre a mancha uma solução de bicarbonato de sódio e água quente. Depois lave e enxágua com água fria.

Manchas de banha, manteiga, graxa e cera:
Passe benzina ou éter. Depois polvilhe talco e lave com água quente e sabão.

Manchas de vinho tinto no tapete:
Remova com vinho branco ou use loção de barbear. A espuma é um bom removedor de manchas.

Manchas de chocolate:
1) Aperte sem esfregar a parte machada entre dois papéis absorventes. Os restos se retira com álcool fino de 90º.
2) Umedecer a mancha com glicerina e lavar em água morna.

Manchas de cerveja:
Deixe cair sobre as manchas umas gotas de água oxigenada ou amoníaco. Depois lave normalmente.

Manchas de doces ou bebidas açucaradas:
Lave com água morna e um pouco de álcool.

Molho de tomate:
Misture uma colher de chá de detergente neutro num copo de água morna, molhe a mancha. Coloque uma colher de chá de amônia em 1/2 copo de água, aplique sobre a mancha. Passe uma esponja com detergente neutro. Enxágüe com água limpa para retirar o excesso. Espere secar.

Essas dicas vieram do blog Rainhas do Lar.

E chega a primavera

setembro 22, 2008

Hoje é o primeiro dia da Primavera. Aproveitem!!

As orquídeas não são LINDAS??

Perseguição

julho 12, 2008

Eu to sempre atrasada!

Não que seja sempre assim ao pé da letra, mas eu to sempre correndo para agradar o relógio e na minha vida existem vários.

Eu acordo com o despertador gritando e dizendo que se eu levantar na primeira vez que ele me chama vou ter tempo para tudo, sem precisar correr. Como gosto de desafios programo ele para tocar dez minutos mais tarde. Ai ele tenta mais uma vez e eu adio novamente, até que, quando eu finalmente levanto, tenho que correr para chegar no trabalho a tempo.

Venho para a cozinha fazer o café. Leite na xícara e xícara no microondas. Esse também tem um relógio que fica me dizendo que se eu demorar para comer me atraso.

Entro no carro para ir trabalhar, ligo o rádio e coloco na Gaúcha e vou ouvindo o André Machado dizer as horas de 15 em 15 minutos só para me deixar mais atucanada e saber que tenho que bater meu ponto em 30 min … 15 min … Agora!!!

Entro na empresa e subo para trabalhar. Ai está tudo bem porque só fico com o relógio do computador a me fazer cobranças do que devo entregar até o horário de ir embora.

Isso que nem decidi falar dos outros relógios da minha vida, porque ainda tem o biológio, o do estômago, o do estudo… Senão o relógio do fogão ia dizer que eu queimei a janta!!

Dança comigo?

abril 29, 2008

Hoje é o Dia Internacional da Dança.

Dança é inspiração, alegria, esporte, terapia, amor, eu podia ficar aqui fazendo esta lista do que eu acho que a dança é e representa, mas acredito que me faltariam adjetivos e tempo para terminá-la de uma forma justa.

Adoro dançar. Ir a uma festa para ficar encostada em um canto nunca foi a minha praia. Nesses últimos tempos tenho sentido falta de dançar. Não de sair a noite pra isso, mas de dançar mesmo, nem que seja na sala de casa. Estou precisando resgatar a Camila que era mais leve e curtia mais.

“Dance como se ninguém estivesse olhando.” Essa é uma frase que já ouvi e li em muitos lugares e acredito que devo levar ela mais a sério. Então como hoje é o dia da dança, dance!!! Na sala, no chuveiro, na frente do espelho, na rua, na boate, onde quiser, mas aproveite.

Começando…

abril 24, 2008

Esse é o meu primeiro post. Como bem disse a Camila, começar algo é bem difícil.

Lembro que no meu discurso de formatura (que, aliás, foi completamente diferente do que planejei), falei que é complicado para um jornalista, que é cobrado o tempo todo e analisado pela sua postura e opiniões diante das coisas, se expressar. Convenhamos, isso é bem contraditório. E confessei que eu não sabia exatamente o que dizer naquele momento. Foi sincero, absurdamente sincero, e, por isso, até meio ridículo.

Pois é. Me sinto um pouco assim começando no blog, também. Para disfarçar a insegurança, eu pego emprestadas as palavrinhas do Caio Fernando Abreu:

“Você quer escrever. Certo, mas você querescrever? Ou todo mundo te cobra e você acha que temque escrever? Sei que não é simplório assim, e tem mil coisas outras envolvidas nisso. Mas de repente você pode estar confuso porque fica todo mundo te cobrando, como é que é, e a sua obra? Cadê o romance, quedê a novela, quedê a peça teatral? DANEM-SE, demônios. Zézim, você só tem que escrever se isso vier de dentro pra fora, caso contrário não vai prestar, eu tenho certeza, você poderá enganar a alguns, mas não enganaria a si e, portanto, não preencheria esse oco. Não tem demônio nenhum se interpondo entre você e a máquina. O que tem é uma questão de honestidade básica. Essa perguntinha: você quer mesmo escrever? Isolando as cobranças, você continua querendo? Então vai, remexe fundo, como diz um poeta gaúcho, Gabriel de Britto Velho, “apaga o cigarro no peito / diz pra ti o que não gostas de ouvir / diz tudo”. Isso é escrever. Tira sangue com as unhas. E não importa a forma, não importa a “função social”, nem nada, não importa que, a princípio, seja apenas uma espécie de auto-exorcismo. Mas tem que sangrar a-bun-dan-te-men-te. “

(Caio Fernando Abreu, Cartas ao Zézim)

 Estamos chegando. Espero que você também sinta-se à vontade para participar com a gente.

🙂

O começo (do Blog)

abril 17, 2008

 

O começo de algo é difícil. Quando se começa alguma coisa se tem medo de errar, medo do desconhecido entre outros medos que não to afim de ficar enumerando aqui, até porque este é um post sobre o início do blog e não sobre meus medos.

 

Faz décadas (exagero) que eu e a Rê estamos falando que deveriamos ter um blog nosso. Nunca tive um, nunca nem comentei nada nos que visito, ou seja, sou uma leiga completa e além disso uma novata!! Pra piorar a minha situação no universo dos blogueiros online… eu trabalho com internet.  

 

Esse post é um exemplo também. Ele está sendo “elaborado” há dias, para não dizer semanas. Pedi pra escrever o primeiro texto, afinal nunca fiz isso e pensei que minha estréria poderia vir junto com a do blog. Depois de tanto enrrolar para montar o blog e eu o post, nos encontramos na casa da Rê e ele saiu.

 

Após alguns probleminhas advindos da falta de experiência conseguimos colocá-lo no ar, com alguns socorros da Cris, do Migs e do Flávio. Todos serão sempre lembrados (hehehe).

Agora com tudo em mãos estamos batalhando para manter textos atuais e uma boa visitação na nossa nova “casinha”. Sejam todos bem-vindos e voltem sempre que possível.