Posts Tagged ‘começo’

Começando…

abril 24, 2008

Esse é o meu primeiro post. Como bem disse a Camila, começar algo é bem difícil.

Lembro que no meu discurso de formatura (que, aliás, foi completamente diferente do que planejei), falei que é complicado para um jornalista, que é cobrado o tempo todo e analisado pela sua postura e opiniões diante das coisas, se expressar. Convenhamos, isso é bem contraditório. E confessei que eu não sabia exatamente o que dizer naquele momento. Foi sincero, absurdamente sincero, e, por isso, até meio ridículo.

Pois é. Me sinto um pouco assim começando no blog, também. Para disfarçar a insegurança, eu pego emprestadas as palavrinhas do Caio Fernando Abreu:

“Você quer escrever. Certo, mas você querescrever? Ou todo mundo te cobra e você acha que temque escrever? Sei que não é simplório assim, e tem mil coisas outras envolvidas nisso. Mas de repente você pode estar confuso porque fica todo mundo te cobrando, como é que é, e a sua obra? Cadê o romance, quedê a novela, quedê a peça teatral? DANEM-SE, demônios. Zézim, você só tem que escrever se isso vier de dentro pra fora, caso contrário não vai prestar, eu tenho certeza, você poderá enganar a alguns, mas não enganaria a si e, portanto, não preencheria esse oco. Não tem demônio nenhum se interpondo entre você e a máquina. O que tem é uma questão de honestidade básica. Essa perguntinha: você quer mesmo escrever? Isolando as cobranças, você continua querendo? Então vai, remexe fundo, como diz um poeta gaúcho, Gabriel de Britto Velho, “apaga o cigarro no peito / diz pra ti o que não gostas de ouvir / diz tudo”. Isso é escrever. Tira sangue com as unhas. E não importa a forma, não importa a “função social”, nem nada, não importa que, a princípio, seja apenas uma espécie de auto-exorcismo. Mas tem que sangrar a-bun-dan-te-men-te. “

(Caio Fernando Abreu, Cartas ao Zézim)

 Estamos chegando. Espero que você também sinta-se à vontade para participar com a gente.

🙂