Posts Tagged ‘musica’

Show do Fito Paez em Porto Alegre – 13/09/2008

setembro 16, 2008

Nem mesmo o frio de oito graus da noite do último sábado impediu os fãs de Fito Paez saírem de casa. Seu show no Pepsi on Stage, agendado para as nove da noite, reuniu os admiradores desse argentino, celebrizado com seu hit “Mariposa Tecnickolor” em uma só voz.

Eu também estava lá. Apesar de termos chegado um pouco em cima da hora, não ficamos muito tempo na assustadora fila que se formava em frente ao ginásio. Enquanto eu ajeitava o cachecol no pescoço para escapar do frio, pude ouvir dois garotos comentando na fila “Bah, Fito Paez no sul é foda”. Essa grande ligação com o público gaúcho foi sinalizada pelo cantor, que disse que tocar em Porto Alegre é como tocar em casa.

O show não estava lotado. O clima mais intimista foi balançeado pela banda que acompanhava Fito, os argentinos “The Killing Burritos”, que deram uma levada muito rock’n roll e não deixaram a peteca cair. Fito abriu o show, com quarenta minutos de atraso, com uma canção do seu cd Rodolfo, “Ciudad de los pibes sin calma”, com um arranjo bem rock’n roll, prometendo uma grande noite. Poucos sabiam cantar, mas era evidente a admiração pela presença de palco do argentino, como sempre usando suas blusas de gola alta, além da marca registrada, os óculos de aro grosso. Os fãs da antiga animaram-se lá pela terceira música, quando ele engatou no piano a introdução de “11y6”. Era dificil não se emocionar com a linda canção de amor. Eu pensava “caramba, eu to vendo o Fito de pertinho”. E la seguia ele, na canção que conta do casal que por casualidade se encontrou em um café e desde então compartilhavam sua vida, desprentensiosamente, vendendo rosas em La Paz.

E nesse clima de tranquilidade foi seguindo o show. Eu estava espantada pelo astral sossegado do pessoal, já antevendo empurra-empurra, pois estava na pista. Que nada. O clima era de extrema paz. Alguns se queixavam da péssima acústica do Pepsi on Stage – problema evidente e mais que notório. Fito insitia nas músicas do novo cd, para divulgar seu último trabalho, mas o público não sabia cantar. Percebendo isso, ele tentou animar a galera, até mesmo prometendo uma rodada de tequila pra todos. Com seu perfil de seriedade argentina, Fito conversou um pouco com o publico, explicando que não falava portugues e não ia insistir nisso.

Eu estava esperando a minha canção favorita, Al lado del camino. Logo ele a tocou e me emocionei muito. Das canções antigas ele fez um mix, “Um vestido y um amor” e “Dar es dar”. Versões, como “Track Track”, dos Paralamas, e “Polaroid de Locura ordinaria”, do Nenhum de Nós, também tiveram vez.

Fito fez um intervalo no meio do show, deixando os Killing Burritos tomando conta do palco. Não decepcionaram: fizeram todo mundo dançar, com seu rock’n roll de primeira qualidade. Ta aí um banda bem bacana de se conhecer. Voltou, cantou mais algumas canções e voltou para o seu bis com o hit “Mariposa Tecknicolor”. O pessoal tirou o pé do chão. Completou com a versao completa de “Um vestido y um amor”. Tudo passou muito rápido ou o show realmente foi curto? Essa é a impressão de alguns fãs, da qual compartilho. Com esse gosto de quero mais, não resta outra alternativa além de estar presente sempre nós próximos shows – espero que seja logo, porque valeu muito a pena!
Segue a set list das canções tocadas no show, segundo a comunidade brasileira de Fito no orkut:

1- Ciudad de los pibes sin calma
2- Lejos en Berlin
3- Taquicardia
4- 11 y 6
5- Gente sin swing
6- Ambar violeta
7- Cable A Tierra
8- Medley: Un vestido y un amor/ Dar es dar
9- Coki e The Killing Burritos 1
10- Coki e the Killing Burritos 2
11- Naturaleza sangre
12- El cuarto de al lado
13- Trafico por Katmandú
14- Track track
15- Al lado del camino
16- Eso que llevas ahí
17- Polaroid de locura ordinaria
18- Enloquecer
19- Circo Beat
20- Tercer mundo
21- Medley: Circo Beat/ Tercer Mundo
22- Ciudad de Pobres Corazones
23- A rodar mi vida

BIS:
24- Un vestido y un amor (de novo)
25- Mariposa Tecknicolor

Anúncios

11 canções para amar mais

setembro 12, 2008

Esse post foi inspirado livremente no blog do Gustavo Gitti, o “não dois, não um”. Ele e um amigo resolveram sugerir uma playlist com aquelas canções românticas, que todo mundo nega, mas sempre gosta de ouvir. O título do post é “11 canções para amar melhor“. Eu adaptei para “canções para amar mais”.
A playlist compoe-se de onze canções, uma para cada etapa de um relacionamento: desde os momentos da paquera até a ruptura. Quando vi a idéia, achei-a muito boa, e pensei que meu plágio pode ser levemente perdoado, afinal, cada um cria a sua playlist.
Aqui vai a minha playlist, com o perdão do excessivo egocentrismo, para quem quiser acompanhar as faixas das quais comento:

[mixwit_mixtape wid=”677b5a7955f1e0b1261f2dbda72f9bbe” pid=”c71d704fbcadcb09750c21f32b97d76e” un=”azevedoregina” width=”426″ height=”327″ center=”true”]

Clique na fita para ouvir
1. Primeiro Encontro
Chasing Cars – Snow Patrol

Sim, você notou algo de diferente no ar. Não consegue se desvencilhar daquele olhar, sente-se meio desajeitado, nervoso, o que o valha. Como em um desenho animado, as luzes piscam “perigo!”. Você sente que está perdido: pintou um interesse e a pergunta inevitável é: “será que vai rolar?”. Hummm. Observando cada detalhe, você deixa a coisa acontecer, ou decide tomar uma atitude. Aqui, o jogo é livre e cada um age de forma diferente na hora da conquista. Uns agem mais passivamente e esperam, outros partem para o jogo da conquista aproveitando o prazer desse momento único, em que você não sabe muito bem no que vai dar, e  é exatamente esse o grande prazer da coisa. Independente do seu perfil, é inegável que acontece alguma dúvida ou receio.
Escolhi a música do Snow Patrol, Chasing Cars, que é o supra-sumo do romantismo. Gary Lightbody canta: “We don’t need anything, or anyone. If I lay here,If I just lay here, would you lay with me and just forget the world?” (Nós não precisamos de nada nem de ninguém. Se eu deitar aqui, se eu apenas deitar aqui, você deitaria comigo e esqueceria do mundo?). Lindo demais. A letra segue, onde ele fala que palavras são muito usadas mas não necessariamente sentidas. Ele diz que não sabe como, que está confuso, mas que precisa do olhar da pessoa para seguir adiante ” All that I am, All that I ever was is here in your perfect eyes, they’re all I can see.” (Tudo o que eu sou, tudo o que eu fui, está aqui em seus olhos perfeitos, e é tudo o que eu consigo ver). Tudo bem, traduzido fica ruim, mas fica aqui a primeira musica da coletânea mega-cafona para amar mais. E tem como não ser?

*Fiquei em duvida também em colocar a canção do grupo espanhol Jarabe de Palo”No se estar enamorado”. Essa musica lindinha conta de como o cara está confuso, porque se percebe apaixonado e não sabe como lidar com a coisa. Fica a dica, caso alguem queira procurar.

2. Conquista
Dress up in you – Belle&Sebastian

Os membros do Belle and Sebastian contam que a origem do nome do grupo vem de um romance francês, mas as fofocas contam que a verdadeira inspiração foi no romance entre Isabelle Campell(Belle) e Stuart Murdoch(Sebastian). A musica “Dress up in you” em si não é a mais romantica de todas, contando com ironia a historia de uma manicure observando a vida da amiga de virou estrela de uma banda de rock. Mas, por apenas uma estrofe, essa musica caiu na minha preferência :”If I could have a second skin, i’d probably dress up in you.” No coments.

3. Striptease
You can leave your hat on – Joe Cocker

Mazáaa! É chegada a hora, “vai que é tua tafareeeel”. A conquista já está realizada e é o momento de aproveitar. Difícil bater essa música, o clássico absurdo de Joe Cocker “You can leave your hat on”. Aproveite o momento e tire tudo, deixando apenas o chapéu (nossa!)

4. Fuck Music
En la cuidad de la furia – Soda Stereo

Imaginem a minha tristeza ao descobrir essa maravilhosa banda argentina e saber que eles terminaram. Soda Stereo, comandada por Gustavo Ceratti, está sempre na minha playlist e tem inúmeras canções excelentes, uma mais bela do que a outra, embaladas pela voz rouca desse belo argentino. A minha favorita é essa: “En la cuidad de la furia”, com o trecho “Me dejarás dormir al amanecer entre tus piernas, entre tus piernas… Sabrás ocultarme bien y desaparecer entre la niebla, entre la niebla…” A versão disponibilizada pelo mixtape nao é das melhores, segue o link do youtube onde Ceratti canta com Andrea Echeverri. É um espetáculo!
http://www.youtube.com/watch?v=Z-ljuV05jTU

5. Pós-Fuck Music
Tratame Suavemente – Soda Stereo

A banda argentina Soda Stereo é tão perfeita que não nos proporciona somente a “fuck music”, como a pós tambem! Momento de calmaria, onde tudo o que você quer é carinho, fica simbolizado em “Quiero que me trates suavemente…”

6. Casamento
Cotidiano – Chico Buarque (Seu Jorge)

Casamento? Bem, é chegada a hora de compartilhar as escovas de dente. Escolhi essa musica por ser um classico da MPB (infelizmente, a versao do Chico não rodava, ficou o seu Jorge mesmo). “Todo dia ela faz sempre igual, me sacode as seis horas da manhã”. Outra música que gosto muito é a da nova cantora Roberta Sá “Interessa?”, mas o mixtape me sabotou de novo. Ela canta que ele é o maridinho que ela pediu a deus, que é o benzinho que a trata com carinho. Bonitinho.
Essa categoria foi a mais dificil para mim de ser escolhida, porque não dividi ainda as escovas de dente com ninguem. Quem sabe um dia, né? (num futuro distante, please).

7. Para dançar
Out of control – She Wants Revenge

Essa musica me dá uma incrivel vontade de dançar. Ele conta que viu ela dançando na pista e  que ela queria ficar sozinha, mas ele não teve escolha senão insistir para dançar com ela.  “The lights, they glow sideways and up and down, the beat takes you over and spins you round, our hearts steady-beating, the sweat turns to cold, we’re slaves to the DJ and out of control.” Aqui ele fala das luzes que brilhavam e compara a batida da musica as batidas dos corações deles. Uau! Tem gente que pode enfartar por ai hein galera…

8. Viagem a dois
Artic Monkeys – 505

Tudo bem, a viagem é so na imaginação do cara. Mas já ta valendo, até porque o Artic Monkeys é uma excelente banda. Enjoy.

9. Amor à distância
Chega de saudade – João Gilberto

Só podia, né. O hino dos saudosos de todos os tempos. “Sem ela, não pode ser…” O ruim é que o mixtape me sabotou de novo e eu tive que colocar a versão da Maria Bethania. Parece que o João Gilberto estava com preguiça de cantar. hehehe.

Outra de amor à distância que gosto é “Nem um dia” do Djavan. “Não te esquecerei um dia, nem um dia, espero com a força do pensamento encontrar a luz que me trará você”. De cortar os pulos, evidentemente.

10. One-night stand
Vino Tinto – Estopa

Mais uma vez o rock español. A dupla Estopa nos brinda com canções com um ritmo contagiante. Uma noite e nada mais? Aplique o papo cafa do vocalista “Soy como un vino tinto, que si me tomas en frio engaño, y con los años me hago mas listo.” Com dez cervejas na cabeça, o cara já ta perdendo a sanidade e lutando contra o desejo de puxar a morena mais pra perto. Outra canção muito boa é “Destrangis in the night”. “Si te pruebo me envenas, se no freno tu nao frenas”. Eita!

12. Ex-namorados
Bah, aqui temos pano pra manga. Todo mundo usa a dor-de-cotovelo como inspiração para as canções melosas e tristes, como se cantar a dor pudesse aliviar um pouco o sentimento. A top top ficou com Against all ods, da banda Postal Service. Tudo bem, talvez tu não conheças a banda de Ben Gibbard, mas a musica foi imortalizada na voz do cafonérrimo Phill Collins! Sim! “You’re the only one Who really knew me at all.” O chutado se descabela, como posso deixar você partir quando é o único que me conheceu por inteiro? De chorar no cantinho…
Segue como escolha dois a banda da gauchada Engenheiros do Hawai, com seu hit “Pra ser sincero”. Quer coração mais partido do que dizer “não espero de você mais do que educação, beijos sem paixão?”. Gessinger segue dizendo que os dois tem os mesmos defeitos, sabem tudo a respeito um do outro. É meu amigo, coloca o violão nas costas e segue a estrada. Já era.
De bônus, como não poderia faltar, o mestre Cartola! O maior romântico de todos os tempos chora em “Deixe-me, preciso andar, vou por aí a procurar, rir pra não chorar”. O mixtape ficou devendo também a lindíssima “Peito Vazio”, onde o cara literalmente se afunda no copo  mas não consegue esquecer a amada. Ah o amor! Encontros e desencontros, alegria e sofrimento. E o pior, a gente começa de novo, sempre.